O Hospital será o primeiro com esta tecnologia em Sergipe A Sergas estará presente no novo Centro Oncológico do Hospital de Cirurgia, por meio do fornecimento de Gás Natural para o sistema de climatização. O sistema adquirido foi o Gás Heat Pump, que conta com menor consumo de energia elétrica, melhor controle da temperatura, menor rúido, sistema automatizado e funcionamento em rede.

Sergas irá fornecer Gás Natural para climatização do Novo Centro Oncológico do Hospital Cirurgia

O Hospital será o primeiro com esta tecnologia em Sergipe

A Sergas estará presente no novo Centro Oncológico do Hospital de Cirurgia, por meio do fornecimento de Gás Natural para o sistema de climatização. O sistema adquirido foi o Gás Heat Pump, que conta com menor consumo de energia elétrica, melhor controle da temperatura, menor rúido,  sistema automatizado e funcionamento em rede.

A implantação da Climatização no Hospital Cirurgia ocorrerá em duas fases pela Multinacional fornecedora do aparelho, totalizando 180 TR (Toneladas de Refrigeração), conforme informação do fabricante. A primeira fase será a instalação de quatro aparelhos Gás Heat Pump (GHP) com 80 TR, e a segunda fase, que deve ocorrer 90 dias após a primeira, contará com cinco aparelhos de GHP, com 100 TR.

Para consolidação do projeto, a Sergas está realizando a construção de 300 metros de gasoduto PEAD 73 mm, entre a Praça da Bandeira e o Hospital de Cirurgia. A obra iniciou no dia 05 de junho e tem previsão de encerramento no dia 01 de julho.

“Com a obra orçada em R$131.000,00, a Sergas contribui para a melhoria do atendimento a população sergipana com tecnologia, economia para a instituição hospitalar que atende usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), conforto e a garantia do abastecimento seguro e contínuo”, observa o diretor presidente da Sergas, Valmor Barbosa.

Além de fornecer Gás Natural para a climatização dessa nova área oncológica do hospital, a Sergas irá disponibilizar o insumo para o refeitório e lavanderia, gerando uma economia de, aproximadamente, 61% em relação ao combustível atualmente consumido (GLP). A estimativa de consumo para o setor da oncologia será em torno de 800m³/dia (até o final do projeto), na lavanderia em torno de 232 m³/dia e no refeitório estima-se cerca de 38m³/dia.