Na última terça-feira (25), a Sergas deu início ao processo gradual de retorno dos profissionais que estavam em regime de teletrabalho, devido ao advento da pandemia por COVID-19. A empresa não interrompeu, em momento algum, o seu funcionamento durante todo esse período, mesmo porque é classificada como serviço essencial e, por isso, manteve-se aberta, funcionando normalmente e atendendo a todo o mercado, obedecendo às determinações dos decretos do Governo do Estado de Sergipe.

Sergas inicia volta gradual dos colaboradores que estavam em teletrabalho

Na última terça-feira (25), a Sergas deu início ao processo gradual de retorno dos profissionais que estavam em regime de teletrabalho,  devido ao advento da pandemia por COVID-19. A empresa não interrompeu, em momento algum, o seu funcionamento durante todo esse período, mesmo porque é classificada como serviço essencial e, por isso, manteve-se aberta, funcionando normalmente e atendendo a todo o mercado, obedecendo às determinações dos decretos do Governo do Estado de Sergipe.

Neste momento estão deixando o regime de teletrabalho e voltando ao presencial, apenas os trabalhadores que não são do grupo de risco, mas que foram afastados como forma de diminuir o fluxo de pessoas na empresa.

No início da pandemia, também foram designados para o regime de teletrabalho, os empregados que estavam no grupo de risco, e que habitam com familiares que fazem parte desse grupo, como idosos, crianças menores de um ano de idade, bem como pessoas que tenham comorbidades. Estes, irão retornar ao trabalho presencial em momento posterior.

Segundo diretor presidente da Companhia, Valmor Barbosa,  o retorno às atividades presenciais é um momento de adaptação e de novos desafios para a empresa e para os colaboradores. “Nosso maior interesse nesse momento é garantir a segurança de todos no ambiente de trabalho. Várias medidas técnicas e preventivas foram tomadas para o retorno desse grupo de empregados. As estações de trabalho foram redimensionadas para garantir a distância de segurança entre cada colaborador e o uso de soluções higienizantes e de máscaras são obrigatórios”, exemplifica.

Ele completa que foram realizados também testes para COVID-19 em cerca de 90 empregados da Sergas e terceirizados. “O trabalhador só retorna às suas atividades após a realização dos exames. Além disso, a sede da companhia vem sendo higienizada, especificamente, contra o coronavírus, todos os finais de semana”, ressalta Valmor.

Para a colaboradora Andreza Mirelli, se todos os colaboradores e a companhia fizerem o seu papel, respeitando as novas normas de convivência e as orientações passadas tudo vai correr bem e “estaremos de volta à normalidade total em breve”.